30 abril 2016

Número de mortos em ataques em Aleppo já se aproxima de 250

Pelo menos 30 ataques atingiram Aleppo, no norte da Síria, neste sábado.
Província de Latakia e subúrbio da capital Damasco tem relativa calma.


Do G1, em São Paulo 


Quase 30 ataques aéreos atingiram neste sábado (30) regiões rebeldes na cidade de Aleppo, no norte da Síria. O número de mortes desde a intensificação dos bombardeios há nove dias já chega a quase 250, segundo informações divulgadas pelo Observatório Síria para os Direitos Humanos (OSDH).


Fumaça pode ser vista à distância após ataque na região de Aleppo, no norte da Síria, na sexta-feira (29) (Foto: Abdalrhman Ismail/ Reuters)
Fumaça pode ser vista à distância após ataque na região de Aleppo, no norte da Síria, na sexta-feira (29) (Foto: Abdalrhman Ismail/ Reuters)

Contudo, um "regime de calma" temporário anunciado pelo exército sírio na sexta-feira aparentemente controlou duas outras áreas atingidas por conflitos recentemente, na província de Latakia e nos subúrbios da capital Damasco.

O governo sírio disse que o "regime de calmaria" é a tentativa de salvar um acordo de cessar-fogo alcançado em fevereiro.


Pelo menos cinco pessoas morreram em Aleppo neste sábado, por causa dos bombardeios. Os ataques aparentemente foram realizados por aviões do governo sírio, segundo o observatório.

O grupo de monitoramento, com sede na Grã-Bretanha, estimou o número de mortos do governo e dos rebeldes nos arredores de Aleppo em 250, desde 22 de abril.

Ataques a hospitais

 
Na sexta-feira (29), bombardeios atingiram uma clínica e uma mesquita na cidade. O ataque rebelde contra a mesquita, que fica na área controlada pelas forças governamentais, deixou pelo menos 15 mortos, de acordo com a Associated Press.

Já bombardeio contra a clínica, que fica em uma área rebelde, provocou graves danos no edifício e deixou vários feridos.

Na noite de quarta-feira (27, o hospital de Al Quds, apoiado pela ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF), foi bombardeado e 50 pessoas morreram. Entre os mortos estão crianças e o último médico pediatra que ainda atuava na região, o doutor Wasem Maaz.


Frente Nusra bombardeia população em Hama e Latakia, na Síria

A Frente Nusra bombardeou a população e as tropas da Síria nas províncias de Hama e Latakia, informa o centro russo para reconciliação síria.


Sputnik

As localidades de Tell El malach e Suran, na província de Hama, foram bombardeadas por lançadores de foguetes múltiplos improvisados. Na província de Latakia, também houve ataques de morteiros contra posições das tropas do governo perto da localidade de Kbana, informou o centro russo para reconciliação síria. 


La ciudad de Murek, provincia de Hama, liberada por Ejército sirio
Cidade de Murek, província de Hama, Síria © Sputnik

“A organização terrorista Frente Nusra continua com as provocações armadas contra a população civil e as tropas governamentais nas províncias de Hama e Latakia”, diz o comunicado.

No dia 27 de fevereiro, entrou em vigor um cessar-fogo negociado por Rússia e Estados Unidos. Grupos terroristas como a Frente Nusra e o Daesh não aderiram ao acordo.



Novo navio de guerra russo está quase pronto

O Gremyashchy será equipado com motores construídos na Rússia, comunica o serviço de imprensa do Ministério da Defesa da Rússia.


Sputnik


A corveta será totalmente equipada até o final de maio de 2016. 


A corveta russa Gremyashchy projeto 20385
Corveta Gremyashchy © Foto: Severnaya Verf Shipbuilding plant

A Marinha da Rússia tinha planejado dotar a corveta com motores produzidos pela empresa alemã MTU. Mas, após a introdução das sanções contra a Rússia em 2014, todos os contratos comerciais com os países que apoiaram as medidas foram congelados.

O primeiro teste do navio será realizado já em 2017 se os motores forem instalados até final de maio, comunica o jornal russo Rossiyskaia Gazeta.

O navio, construído na cidade de São Petersburgo, é destinado a apoiar operações terrestres e a conter os submarinos do adversário. O corpo da corveta é feito de materiais compósitos incorporando a tecnologia Stealth, o que o torna quase "invisível" aos radares.

O navio terá uma tripulação de 99 membros e também será equipado com armamento de artilharia, sistemas antimísseis e antissubmarinos, bem como com vários radares.

O armamento inclui foguetes do tipo Kalibr-NK, o sistema antiaéreo Redut e canhões A-190-01 de 100 mm. O navio também tem uma plataforma de pouso de helicópteros antissubmarino Kamov Ka-27.

A corveta de 104 metros, tem o deslocamento de 2.200 toneladas e uma velocidade de 50 km por hora.


Menino russo inventa robô para franco-atiradores

Competição nacional do Ministério da Defesa da Rússia permite aos jovens mostrarem as suas invenções técnicas e militares.


Sputnik


Um veículo de neve robótico, equipamento para franco-atiradores, faz parte da série de dispositivos especiais apresentados pelos alunos entendidos em tecnologia de toda a Rússia para mostrar o seu escrutínio profissional na competição nacional organizada pelo Ministério da Defesa da Rússia, comunica a agência RIA Novosti. 


Robô de Pucheglaz(POPEYE) apresentado pelo jovem russo
Robô Pucheglaz © Sputnik

O simulador robótico batizado de Pucheglaz (Popeye em inglês, ou algo como “Olho Arrebentado” em português), apresentado por Semyon Kurochkin, que termina uma escola militar, utiliza o método de correção da visão inventado pelo oftalmologista britânico Jonathan Barnes.

Olhando através do dispositivo, o atirador vê um ponto de laser, o que permite manter o alvo sempre focado. Seguindo as instruções fornecidas na tela, ele começa a estreitar e relaxar os músculos dos olhos. A cada 15 minutos, aparecem o sinal para descansar.

O engenhoso sistema de travagem foi um objeto de elogios por parte dos peritos do Ministério da Defesa.

No seu discurso ao público, o coronel Oleg Vorobyov, que é o chefe interino do Departamento da Propriedade Intelectual e da Avaliação de Fornecimentos do Ministério da Defesa, acrescentou que a competição refletiu o “interesse crescente para a ciência e tecnologia” e contribui para popularização dos progressos científicos russos no estrangeiro.

A Rússia nunca teve falta de jovens mentes inventoras. Por exemplo, os alunos de uma escola de Astracã criaram um robô que pode ser controlado pelo poder do pensamento. A capacidade do mecanismo para reconhecer instruções mentais e transformá-las em sinais foi comprovada em várias experiências.

O sistema consiste de uma plataforma com rodas que pode ser controlada de modo remoto e o controlador que recebe os sinais surgidos no cérebro do operador.

Esta invenção tem usos múltiplos mas é especialmente beneficial para pessoas com deficiências.

No sentido militar, esta invenção pode ser usada para aumentar a eficácia do combate. Ela permite o operador a dirigir o veículo aproveitando vários tipos de armas simultaneamente.


Novos mísseis russos serão ‘invulneráveis’ para a OTAN

A Rússia está atualmente finalizando o desenvolvimento de mísseis de uma nova geração que são invulneráveis às forças da OTAN, que podem ser colocados nos territórios do norte da Rússia se a Suécia aderir à OTAN, disse o vice-presidente do Comitê de Armas do Senado russo, Evgeny Serebrennikov, na sexta-feira (29).


Sputnik

Mais cedo, o ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov, disse que a Rússia iria responder com medidas técnico-militares nas suas fronteiras do norte se a Suécia optar por aderir à OTAN. 

S-400


"Atualmente, está sendo finalizado o desenvolvimento de uma nova geração moderna de mísseis que não foram anunciados. Eles serão invulneráveis para as armas da OTAN, incluindo os sistemas de defesa aérea", disse Evgeny Serebrennikov à RIA Novosti.

O senador precisou que se trata também de um aumento do número de armamentos nas fronteiras do norte e noroeste, incluindo o fortalecimento da Frota do Norte.

Nos últimos anos, a pressão sobre a Suécia e a Finlândia para abandonar a neutralidade e virar para a OTAN tem crescido, embora os países tenham tradicionalmente permanecido não alinhados.

Desde 2014, a OTAN tem reforçado a sua presença militar na Europa, particularmente nos países da Europa de Leste que fazem fronteira com a Rússia, usando a alegada interferência de Moscou na Ucrânia como um pretexto para as ações.



Capacidade militar de China e Rússia preocupa Pentágono

O Pentágono se mostra preocupado com a capacidade de reação rápida de militares russos e chineses, admitiu, nesta quarta-feira, o secretário de Defesa dos EUA, Ashton Carter.


Sputnik


Segundo o secretário, o Pentágono está concentrado em obter a mesma possibilidade de reação rápida “que os inimigos de mais alto nível” e que “neste contexto, Rússia e China são os rivais mais fortes.” 


Ashton Carter, do Pentágono, durante um briefing em 30 de setembro
Aston Carter © AFP 2016/ SAUL LOEB

“Eles construíram e seguem desenvolvendo seus sistemas militares que ameaçam nosso domínio nesses setores concretos”, disse Carter.

O secretário declarou ainda que “em vários casos, desenvolvem armas e métodos de guerra orientados a conseguir objetivos rapidamente, antes que possamos responder.”

Carter declarou que “por isso, o Departamento de Defesa aumentou sua prioridade em planejamento e composição de orçamento.”


Robô bombeiro se alista no serviço militar da Rússia (vídeo)

O Uran-14, um sistema robótico único, foi incorporado ao arsenal do corpo de bombeiros do Distrito Militar do Leste em Transbaikalia (sul da Sibéria), informou aos jornalistas o porta-voz do Distrito, coronel Alexander Gordeyev.


Sputnik

O robô pode ser usado para retirar destroços de incêndios, efetuar reconhecimento de terreno e levar equipamento de extinção de chamas a lugares indicados via controle remoto. 


Urán-14
Uran-14 © Foto: JSC "766 UPTK"

"O Uran-14 é um sistema robótico polivalente de tração com esteiras e apresenta características únicas quanto à segurança humana, permitindo evitar a exposição direta do ser humano a temperaturas perigosas", disse o coronel.

Para seu deslocamento, é utilizado um motos de 240 cavalos que permite mover suas 14 toneladas a uma velocidade de 12 quilômetros por hora. Além disso, sua bomba de incêndio tem rendimento de dois mil litros por minuto e garante a extinção do fogo em um raio de 50 metros.

O Uran-14 possui uma cisterna com água e outra com espuma — de dois mil e 600 litors, respectivamente — e também pode se conectar a um depósito exterior de água.


Estonia realiza exercícios com militares americanos perto da fronteira com a Rússia

As Forças de Defesa da Estônia iniciaram, nesta quarta-feira, exercícios militares chamados Aviso de Tempestade na região de Vorumaa, perto da fronteira com a Rússia, informou o Chefe de Gabinete das Forças de Defesa do país.


Sputnik


O exercício envolve 800 militares, inclusive soldados dos Estados Unidos baseados no país, segundo o Chefe de Gabinete. 


Soldados estonianos
Soldados estonianos © AFP 2016/ RAIGO PAJULA

“Neste momento, os objetivos dos exercícios são testar a prontidão de combate em caso de alarme, o repentino chamado para o serviço militar, o transporte parcial de reservas mobilizados, e a implementação de tarefas táticas. Além dos militares e de milícia estonianos, soldados americanos usando veículos blindados Stryker localizados na cidade de Tapa participarão dos exercícios”, disse Hando Toevere, comandante do batalhão de infantaria de Kuperjanov.

As manobras, com duração prevista de cinco dias, devem terminar no domingo com um treinamento de batalha na cidade de Voru.

Os exercícios Aviso de Tempestade acontecem antes dos exercícios Tempestade da Primavera, que serão realizados pela OTAN em maio, na Estônia.



29 abril 2016

Pentágono diz que bombardeio de hospital afegão não é crime de guerra

No ataque ao centro médico de Kunduz, 40 pessoas morreram.
Governo americano diz que foi um erro e que deve ser punido.


France Presse


O bombardeio contra um hospital da ONG Médicos Sem Fronteiras na cidade afegã de Kunduz no ano passado aconteceu devido a uma série de erros e deve ser punido, mas não pode ser considerado um crime de guerra, afirmou o Pentágono. 


Pessoas são vistas em hospital dos Médicos Sem Fronteiras em Kunduz, no Afeganistão, logo após bombardeio atingir o local neste sábado  (Foto: Divulgação/Médicos Sem Fronteiras )
Pessoas são vistas em hospital dos Médicos Sem Fronteiras em Kunduz, no Afeganistão, logo após bombardeio atingir o local neste sábado (Foto: Divulgação/Médicos Sem Fronteiras )

Em uma coletiva de imprensa, o general Joseph Votel, do Comando Central das Forças Armadas americanas, explicou que no ataque lançado em 3 de outubro de 2015 a tripulação do avião AC-130 não dispunha de uma lista de sítios protegidos na região de Kunduz.

A aeronave equivocadamente dirigiu seu ataque contra o centro médico onde eram atendidos pacientes com traumas, o que provocou 40 mortes entre pacientes, familiares e pessoal sanitário.

Até agora, os Estados Unidos anunciaram sanções contra vários militares pelos erros que levaram ao bombardeio de uma instalação médica.


27 abril 2016

Turquia envia lançadores de mísseis para fronteira com a Síria

As Forças Armadas da Turquia estão aumentando o seu potencial bélico na fronteira com a Síria. Em particular, o exército turco deslocou para a cidade de Kilis novos lançadores múltiplos de foguetes, capazes de produzir até quarenta disparos em oitenta segundos, informou a agência Anadolu.


Sputnik

De acordo com uma fonte militar da agência, a Turquia enviou para a base militar da 5ª Brigada blindada na província de Gaziantep, no sudeste do país, 13 caminhões com equipamentos militares, para reforçar as tropas do seu exército na fronteira com a Síria.


Sistemas de lançadores de mísseis no sudeste da Turquia
HIMARS © Foto: Wikipedia/Glenn Fawcett

Nesta segunda-feira (25), a mídia turca, citado fontes militares, informou sobre o deslocamento de tropas adicionais para a região de Kilis. Como resultado de um ataque das Forças Armadas da Turquia contra a Síria a partir de território turco, foram eliminados oito militantes do Daesh e destruído um lançador de mísseis dos terroristas.

Mais tarde, a mídia turca informou que Ancara e Washington concordaram em colocar em maio sistemas de lançadores múltiplos de foguetes HIMARS (na sigla em inglês) na fronteira com a Síria.

"Nossa artilharia tem um alcance máximo de quarenta quilômetros, enquanto a dos EUA — noventa. O nosso principal objetivo é eliminar todos os militantes do Daesh em um raio de 98 quilômetros da nossa fronteira e criar uma zona de segurança", disse aos jornalistas o ministro das Relações Exteriores da Turquia Mevlut Cavusoglu, acrescentando que a ajuda os Estados Unidos irá reforçar a resposta ao Daesh.

De acordo com a emissora Haberturk, os sistemas de lançadores múltiplos de foguetes serão colocados na fronteira com a Síria em maio.

O grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e reconhecido como terrorista pelo Brasil) autoproclamou-se "califado mundial" em 29 de junho de 2014, tornando-se imediatamente uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecido como a ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando um jihadista de tendência salafita, o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad. Depois da invasão norte-americana no Iraque em 2003, esta organização começou a se fortalecer até se transformar, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.


Crimeia recebe novos equipamentos militares

O batalhão da infantaria naval da Marinha Russa do Mar Negro, na Crimeia, recebeu 40 novos veículos blindados BTR-82A, informou hoje (27) no seu comunicado o Comando Militar Sul da Rússia.


Sputnik

No total, em 2016 o exército russo deve ser dotado com mais de 1,8 mil unidades de armas e material bélico modernos, inclusive dois submarinos (Velikiy Novgorod e Kolpino), a fragata Admiral Essen, aviões Su-25SM e Su-30SM, helicópteros Mi-8 AMTSh e Ka-52, entre outros.


Blindado BTR-82A da infantaria naval das forças costeiras da Marinha da Rússia durante exercícios Derby Báltico-2015, na região de Kaliningrado
Blindado BTR-82A © Sputnik/ Igor Zarembo

“Na semana passada o batalhão da infantaria naval da Marinha Russa no Mar Negro, na Crimeia, recebeu por volta de 40 unidades de novos veículos blindados BTR-82A”, diz o comunicado.

A assessoria de imprensa adicionou ainda, que desde o início do ano, o Comando Sul foi equipado com mais de 160 unidades de novos equipamentos e material bélico, entre eles aviões, navios-patrulha, equipamento topográfico e veículos diversos.



Presidente da Lituânia admite presença de F-22 dos EUA no país

De 300 a 800 soldados adicionais podem ser deslocados como contingente de um batalhão de tropas aliadas na Letônia, pelo menos é o que a presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite, gostaria que acontecesse.


Sputnik

A respectiva informação foi divulgada pela chefe de Estado durante o seu discurso realizado nesta quarta-feira (27) na base aérea perto da cidade de Siauliai. 


Dalia Grybauskaite - a presidente da Lituânia

“Eu acho que a presença adicional militar aqui é muito possível – um batalhão em todos os países bálticos”, declarou Grybauskaite a jornalistas.


Cabe mencionar que a mídia local já tinha informado, sem citar fontes, sobre a chegada de dois caças F-22 da Força Aérea dos EUA à mesma base. O acontecimento não foi oficialmente anunciado, nem houve muita informação sobre o evento. Algumas horas depois, os caças retornaram à sua base permanente na Grã-Bretanha, divulgou o site vz.lt.


Ainda de acordo com a líder lituana, a presença dos F-22 na Lituânia significa uma prova clara da solidariedade dos EUA e da OTAN frente à alegada “ameaça russa”.

De acordo com o mesmo site, as declarações foram feitas na presença do ministro da Defesa, Juozas Olekas, e de outros altos funcionários da Lituânia.

Além disso, edições lituanas foram notificadas de um pedido de não divulgar informações sobre o tema.

No ano passado, os chefes das Forças Armadas da região do Báltico pediram alocar em cada um dos países um batalhão de tropas aliadas, que contaria com a presença de 300 a 800 soldados.


Rússia começa a testar novos e potentes sistemas de guerra radioeletrônica

O consórcio russo Tecnologias Radioeletrônicas (KRET, na sigla em russo) começou a testar a um novo equipamento terrestre de guerra eletrônica projetado para proteger alvos civis e militares de ataques aeroespaciais, relata a RT nesta segunda-feira (25). 


Sputnik

"O consórcio começou a testar o novo complexo terrestre de guerra eletrônica, capaz de proteger tanto as tropas como os alvos civis de ataques realizados por meios aeroespaciais. Os testes terminarão no final deste ano", disseram representantes da empresa, que é a maior fabricante nacional de equipamentos de guerra eletrônica da Rússia.


Krasukha 4, sistema de guerra eletrônica das Forças Armadas da Rússia
Krasukha 4, sistema de guerra eletrônica da Força Aérea da Rússia © Foto: ROSTEC

De acordo com as informações disponíveis, este complexo integra sistemas de guerra eletrônica e meios de defesa aérea, sendo composto por módulos independentes de interferência capazes de influir nos sistemas de controle inimigos a grandes distâncias, por meio de complexos e potentes sinais digitais.

"Foram criadas estações multicanal que proporcionam a neutralização radioeletrônica de sistemas diferentes ao mesmo tempo", acrescentaram as fontes.




21 abril 2016

Exército abre primeiro concurso para ingresso de mulheres na carreira militar bélica

Caline Galvão | Diário Corumbaense

Pela primeira vez, o sexo feminino entra na Linha do Ensino Militar Bélico do Exército Brasileiro. As mulheres agora, a partir dos concursos que serão realizados em 2016, poderão ingressar na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e no Centro de Instrução de Aviação do Exército (CI Av Ex). Elas, que já participam da Escola de Sargentos de Logística (EsSLog) nas áreas de saúde, música e intendência, poderão atuar na EsSLog agora nas áreas de manutenção de armamento, manutenção de viatura auto, manutenção de comunicações , topografia e mecânico operador. 

´


De acordo com o Centro de Comunicação Social do Exército, embora inicialmente a oportunidade seja para trabalhar na logística da área bélica, a mobilidade geográfica, a disponibilidade e a preocupação com o vigor físico estarão presentes nas mulheres que atuarão na área. Além disso, elas participarão de atividades em campanha e conviverão com os riscos da profissão.

A tenente Thaynan de Assis Marinho, que atua como dentista no posto médico da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, Brigada Ricardo Franco, em Corumbá, é totalmente favorável ao ingresso de mulheres na carreira bélica do Exército. “É lógico que as mulheres que vão ingressar não serão mulheres tão sensíveis, elas terão perfil diferenciado. É uma mulher que terá condicionamento físico e emocional exemplar, elas vão entrar com essa cobrança, de serem mulheres diferentes, mas ainda assim mulheres, vão usar maquiagem, vão se portar como mulheres, mas elas são extremamente capacitadas e vão passar por testes de esforço físico, além do exame intelectual. O Exército tem se preparado para esse momento já há alguns anos, acredito que os instrutores que vão lidar com essas meninas já estarão preparados para receber e amparar a chegada dessa novidade”, afirmou a tenente ao Diário Corumbaense.

Militar de carreira, Thaynan já participou de missão no Haiti, durante seis meses, onde atuou na sua profissão, auxiliando os militares brasileiros e participando de ações cívico-sociais. Formada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em odontologia e em odontopediatria, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), logo que saiu da especialização ingressou no Exército. No final de 2014, foi ao Haiti e afirmou ter sido uma experiência “maravilhosa”. “É uma experiência ímpar de crescimento pessoal, profissional, e principalmente humanitário porque você lida diretamente todos os dias com a miséria generalizada, é muito diferente do que o que a gente está acostumada a ver aqui”, relatou.

“A mulher dentro das missões no exterior tem papel de desafio. Estar dentro de um batalhão, fora de seu País, como mulher, é um desafio por conta da dificuldade de se manter a posição profissional. Muitas vezes, eles ainda têm um pouco de dificuldade em relação a esse posicionamento da mulher no meio da tropa, isso ainda gera um pouco de conflito. Mas, minha experiência foi maravilhosa, eles nos respeitam muito e, com o passar do tempo, a mulher tem mostrado que é sim capacitada para estar dentro da tropa”, afirmou a tenente Thaynan de Assis Marinho.

Militar temporária, a sargento Kellyn Cristina Pereira atua na área técnica como nutricionista, na Brigada Ricardo Franco. Natural de Campo Grande, ingressou na carreira militar em 2014. “Meu pai é militar, então sempre tive a visão do militarismo dentro de casa, sempre estudei em colégio militar, por isso sempre gostei dessa área. A primeira vez que teve concurso para oficial do Exército para carreira na área foi no ano passado, eu fiz porque é o meu objetivo e sempre gostei disso”, contou.

Kellyn acredita que hoje o Exército está começando a ver a eficiência das mulheres dentro das Forças Armadas. “Eu acredito que com a modernização, não há tantas barreiras a serem derrubadas pelas mulheres no Exército. O Exército está iniciando esse ingresso recentemente, mas na Marinha e na Aeronáutica, as mulheres atuam faz tempo, acredito que eles entram em contato com as outras Forças e acabam vendo que é eficiente a mulher no Exército”, opinou a sargento.

Técnica em enfermagem, a sargento Patrícia Souza segue carreira militar desde 2013. Influenciada pelos parentes militares, desde criança sempre admirou o setor de saúde do militarismo. “Pesquisando pelas áreas militares, bombeiros, Aeronáutica, Marinha, eu me apaixonei pelo Exército. A mulher desde muitos anos sempre foi vista como o sexo frágil e no Exército é a oportunidade de a gente mostrar que de frágil a gente não tem nada, a gente é capaz de muita coisa, essa á a barreira que ainda tem que derrubar”, afirmou Patrícia.

Opções de concursos abertos em 2016 para ingresso de mulheres na carreira militar

Neste ano de 2016, há várias opções de concurso para o sexo feminino com vistas à matrícula nos cursos em 2017. Para a Escola de Formação Complementar do Exército, em Salvador/BA (EsFCEx), há vagas para mulheres formadas em Ciências Contábeis, Direito, Informática, Enfermagem e Veterinária. Para participar, a interessada deve ser brasileira nata, ter formação superior, ser registrada no órgão fiscalizador da profissão, possuir no máximo 36 anos, referenciados a 31 de dezembro do ano de sua matrícula. O concurso para o setor está dividido em quatro fases. Na primeira, haverá prova escrita com quatro questões. Na segunda e terceira fases, haverá inspeção de saúde e exame de aptidão física, respectivamente. A quarta fase é a comprovação dos requisitos biográficos e revisão médica. A militar começará no cargo de tenente, podendo chegar a coronel. A previsão para abertura de inscrições é entre junho e agosto.

Para o concurso de ingresso na Escola de Sargentos de Logística, no RJ (EsSlog) e para o Centro de Instrução de Aviação do Exército, em Taubaté-SP (CIAvEx), a exigência educacional é de Ensino Médio completo e ter idade de 17 a 24 ou 26 anos. No entanto, para as áreas de saúde e música, a mulher deve ter curso técnico em Enfermagem, concluído até a data da matrícula, e ter habilidade musical, para as respectivas áreas. Para esse concurso, a interessada poderá atuar também nas áreas de Intendência, Manutenção de Armamento, Mecânico Operador, Manutenção de Viatura Auto, Manutenção Comunicações, Topografia e Manutenção de Aviação do Exército. A prova também será em quatro fases. A primeira é o exame intelectual, a segunda é a comprovação dos requisitos biográficos, depois inspeção de saúde e exame de aptidão física. As militares que passarem no concurso ingressam como 3º sargento, podendo chegar a capitão. As inscrições devem ser abertas entre maio e julho.

Haverá também concurso para mulheres ingressarem na Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), onde ficarão por um ano para posteriormente ingressarem na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende/RJ, onde permanecerão por quatro anos, a fim de atuarem nas áreas de Intendência e Material Bélico. Os requisitos são: ser brasileira nata, ter concluído o ensino médio até a data de matrícula, possuir idade mínima de 17 anos e máxima de 22, completados até 31 de dezembro do ano da matrícula; deve ter no mínimo 1,55m de altura, possuir aptidão física e idoneidade moral que a recomendem ao ingresso na carreira de oficial do exército Brasileiro. Durante o concurso, a candidata passará por exame intelectual, haverá comprovação dos requisitos biográficos pelas candidatas, passará por inspeção de saúde e exame de aptidão física. A mulher entra no quadro de militares do Exército como tenente, podendo chegar a general de exército. A previsão é que as inscrições para o concurso sejam abertas entre maio e julho.

A mulher que quiser ingressar na Escola de Saúde do Exército, no Rio de Janeiro (EsSEx), para atuar nas áreas de Medicina, Odontologia ou Farmácia, precisa ser brasileira nata, ter concluído com aproveitamento , em instituição de ensino superior, curso referente à área de atuação; possuir curso referente a uma das especialidades destinadas a matrícula no CFO do Serviço de Saúde e estar registrada no órgão fiscalizador da profissão a que concorre; possuir idade máxima de 36 anos, completados até 31 de dezembro do ano da matrícula. No concurso, a candidata passará por exame intelectual, inspeção de saúde, exame de aptidão física, revisão médica e comprovação dos requisitos biográficos exigidos às candidatas. A concursada ingressa na carreira como tenente, podendo chegar a general de divisão. As inscrições devem ser abertas entre julho e agosto.

Para o Instituto Militar de Engenharia (IME), no Rio de Janeiro, há vagas para nascidas entre 1º de janeiro de 1995 e 31 de dezembro de 2000. É necessário ter o Ensino Médio concluído. Para esse concurso, a previsão de inscrição é entre julho e setembro, são cinco anos de formação no IME. Para todas as áreas pretendidas, a concursada terá plano de carreira definido, sistema de saúde próprio, sistema previdenciário diferenciado, residências funcionais conforme disponibilidade, cursos de especialização e extensão e oportunidades de missões no exterior.



18 abril 2016

VANT CAÇADOR - Realiza o primeiro voo no espaço aéreo brasileiro

O VANT Caçador da Avionics Services S.A.,realizou com sucesso seu primeiro vôo no espaço aéreo civil brasileiro


DefesaNet


O VANT “Caçador” é uma versão brasileira do VANT Heron-1, desenvolvido pela Israel Aerospace Industries (IAI) com atuação mundial em mais de 20 clientes.




O VANT decolou em fevereiro deste ano do aeródromo de Botucatu, no estado de São Paulo, após o cumprimento de todos os regulamentos e obter todas as permissões exigidas pelas autoridades governamentais brasileiras.

Esse foi o primeiro voo da aeronave que foi destaque da Avionics durante a FIDAE. A empresa estará presente no Pavilhão Brasil (F), coordenado pela ABIMDE e com apoio da APEX-Brasil.

Desde a assinatura de um acordo de cooperação há 3 anos, a IAI e Avionics Services trabalharam em conjunto para estabelecer uma forte base industrial brasileira no campo de sistemas não-tripulados. O processo incluiu esforços significativos de transferência de tecnologia e conhecimento para garantir uma maior independência da indústria brasileira e proficiência dos complexos e avançados sistemas não tripulados.

A Avionics Services estabeleceu profissionalmente a infraestrutura necessária no aeródromo Botucatu para se tornar um centro de excelência para sistemas aéreos não tripulados.

O VANT Caçador é um vant de média altitude e longa duração, capaz de voar mais de 40 horas, a uma altitude de até 30.000 pés. O peso máximo de decolagem do VANT é de 1270 kg, que lhe permite transportar múltiplas cargas úteis simultaneamente a fim de executar uma variedade de missões.

Além disso, o link de comunicação do Caçador inclui um canal de comunicação por satélite em banda larga para permitir que ele funcione em intervalos de mais de 1.000 km de sua estação de comando e controle - uma capacidade de grande valor, especialmente em países extensos como o Brasil.

Sr. João Batista Vernini, Diretor da Avionics:

"A operação bem-sucedida do VANT Caçador demonstra as capacidades e A força da Avionics na implantação de tecnologias de ponta e tomando a liderança nos mercados de VANTs do Brasil e da América Latina para aplicações militares e civis. O VANT Caçador bem como outros produtos desenvolvidos em conjunto com a IAI, resulta em um sistemas estratégicos de VANT para o mercado da América Latina, assegurando o apoio local e com resposta imediata aos nossos clientes dessas regiões."

Sr. Baruch Bonen, Gerente Geral da Divisão MALAT (VANT) da IAI:


"O sucesso do voo do VANT Caçador reflete a nossa cooperação frutífera em curso com Avionics e expressar nosso compromisso de apoiar os clientes brasileiros."


Israel Aerospace Industries:

A IAI Ltd. é a maior empresa aeroespacial e de defesa de Israel e líder em tecnologia e inovação reconhecida mundialmente, especializada no desenvolvimento e fabricação de sistemasno estado-da-arte no ar, espaço, mar, terra, cyber e segurança nacional. Desde 1953, a empresa tem fornecido soluções com tecnologia de ponta para o governo e clientes em todo o mundo, incluindo: satélites, mísseis, sistemas de armas e munições, sistemas não-tripulados e robôs, radares, C4ISR e mais. A IAI também projeta e fabrica jatos executivos e aeroestruturas, realiza revisão e manutenção em aviões comerciais e converte aviões de passageiros a configurações de reabastecimento e de carga.

Avionics Services S.A.:

A AVIONICS Services é uma empresa líder brasileira com mais de 20 anos de experiência nos mercados civis e militares. A Avionics tem se especializado em projetos de desenvolvimento, integração e certificação de qualquer aviônico e sistemas, bem como em pacotes de missões especiais. A empresa fornece soluções para aeronaves de asa fixa e rotativa, bem como para simuladores. A excelência da Avionics "decorre de uma herança estabelecida de elevada qualidade e segurança, com altíssima satisfação de clientes. A Avionics Services é certificada pela ANAC, Exército, Força Aérea e Marinha do Brasil. Também possui os certificados ISO-9001 e NBR 15100/AS9100. É definida como uma Empresa Estratégica de Defesa (EED) pelo Ministério da Defesa brasileiro.

Nota DefesaNet


O VANT IAI Heron está em uso pela Polícia Federal do Brasil com o SISVANT. A sua base operacional estava situada próxima a Foz do Iguaçu.

Mais recentemente o Heron foi testado pela Marinha como um vetor de vigilância no Programa Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz). O Programa SisGAAz está suspenso por razões orçamentárias.

 

Exército seleciona LMV da Iveco

Forças Terrestres

O Exército Brasileiro selecionou o veículo blindado LMV (Light Multirole Vehicle) da Iveco Defence como o vencedor do programa Viatura Blindada Multitarefa Leve Sobre Rodas (VBMT -LR), informou o Escritório Projetos do Exército (EPEX) ao IHS Jane em 14 de abril. 


Iveco LMV

O Exército deve entrar em negociações com a empresa vencedora em breve para a assinatura de um contrato que contemplará 32 veículos iniciais em configurações multifunção.

O LMV apresentado pela Iveco Latin America concorreu com o Avibras Tupi, uma versão local do veículo Sherpa da Renault Trucks.

O contrato da Iveco incluirá também apoio logístico, peças de reposição e treinamento. Os veículos em configuração de transporte de tropas deverão incluir disposições para comunicações específicas, lançadores de granada fumígenas, montagem de proteção para o armamento e uma estação de arma operada por controle remoto REMAX da ARES Aeroespacial & Defesa REMAX.


Campanha de ensaios do cargueiro KC-390 apresenta novo recorde

A linha de produção em série do cargueiro deve iniciar no próximo ano, com uma expectativa de geração de 1.060 empregos diretos e 5.300 indiretos


Portal Brasil

Com rotina de dois voos por dia, o futuro jato de transporte militar da Força Aérea Brasileira, o protótipo KC-390, já ultrapassou 150 horas no ar. A aeronave voou mais de 50 horas já no terceiro mês de ensaios, marca que normalmente só é atingida com o amadurecimento dos sistemas, em estágio mais avançado. Outro diferencial é que esse projeto teve a maior campanha em túnel de vento, para que a configuração aerodinâmica fosse definida. 


KC-390 - cena 8 video Conexao FAB mar2016
Embraer KC-390

A montagem da segunda unidade foi concluída e deve se juntar à campanha de ensaios em voo em breve. A fase é acompanhada por pilotos e engenheiros de diversas áreas da Embraer, fabricante da aeronave instalada em Gavião Peixoto (SP).

Iniciada efetivamente em outubro de 2015, a campanha de testes em voo envolve mais de 1.110 profissionais responsáveis por avaliar a performance, desempenho e a robustez do maior avião já produzido no Brasil. A cada voo, o cargueiro é avaliado em vários tipos de situação, com novas altitudes, velocidades e configurações. Os testes deverão durar dois anos, e o objetivo é obter a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), organização militar do Comando da Aeronáutica. Após ser certificado, o KC-390 poderá ser utilizado em missões reais.

Para que a aeronave seja aprimorada na fase de testes, 23 câmeras foram instaladas no interior e na fuselagem do protótipo do KC-390. Todas as imagens e demais dados colhidos são encaminhados para a estação de telemetria, um monitoramento remoto que possui softwares de alta tecnologia para a análise dessas informações e ajustes necessários.

Durante essa fase, a tripulação embarcada é composta por pilotos de prova e engenheiros de ensaio em voo com larga experiência em aeronaves civis e militares, como Marcos Salgado de Oliveira Lima, ex-piloto de caça da FAB e que está há dezenove anos na Embraer. Segundo ele, KC-390 é o protótipo com maior disponibilidade na história da fabricante.

“Essa integração das equipes que desenvolveram a aeronave somada à qualidade de voo do avião faz com que ele fique muito fácil de pilotar. Ele é preciso e rápido para realizar todas as manobras, mantendo-se uma pilotagem suave. Ele também oferece ao piloto uma carga de trabalho muito baixa porque é como se o avião tivesse com o piloto automático acoplado quase o tempo todo”, acrescenta Lima.

Desenvolvimento

O processo de gestação do jato militar foi desenvolvido pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), da FAB, a partir das demandas operacionais e de requisitos do Comando da Aeronáutica. O objetivo era reunir em um só avião a capacidade de atender a inúmeras missões, como busca e salvamento, transporte, reabastecimento em voo, lançamento de cargas e paraquedistas, evacuação aeromédica, combate a incêndio florestal, entre outras.

Um trabalho feito em conjunto com engenheiros da Embraer, possibilitou chegar às dimensões da plataforma criada para o KC-390. Uma aeronave de asa alta, de grandes proporções, com motores a jato, capaz de pousar em pistas não pavimentadas e não preparadas, além de contar com tecnologia de ponta empregada em diversas áreas. Entre as inovações, o jato tanque pode ser reabastecido e reabastecer em voo – inclusive helicópteros – e também pousar na Antártida.

Na configuração do cockpit, são cinco displays touchscreen (sensíveis ao toque), com telas que facilitam a navegação do piloto e a mudança de comandos com apenas um toque. O sistema aviônico é desenvolvido pela empresa norte-americana Rockwell Collins, que dispensa o uso de relógios, medidores e termômetros.

O cargueiro da FAB vai ser o único da categoria que conta com o sistema de comando de voo eletrônico full fly-by-wire, que além de dar maior eficiência à pilotagem, também vai proporcionar uma integração com as demais missões. Um exemplo é o lançamento de cargas, onde o fly-by-wire irá atuar em tempo real nas surperfícies de forma a manter o avião na trajetória desejada pelo piloto.

Indústrias estrangeiras de três países também colaboraram no desenvolvimento do KC-390. Uma empresa argentina, a FAdeA, fabrica os spoilers (superfícies móveis de controle de sustentação na asa), as portas do trem de pouso do nariz, a porta da rampa, as carenagens dos flapes, o cone de cauda e o armário eletrônico.

Duas indústrias portuguesas, OGMA e EEA, são responsáveis por fornecer os painéis da fuselagem central, as carenagens dos trens de pouso (sponsons), as portas dos trens de pouso principais e os profundores. E uma indústria tcheca, a Aero Vodochody, por sua vez, produz parte da fuselagem traseira, as portas para paraquedistas e tripulação, a porta de emergência e escotilhas, a rampa de carga e o bordo de ataque fixo.

“Sem dúvida nenhuma, o KC-390 é referência mundial em termos de engenharia. A gente empregou o que há de mais moderno tanto naquilo que a gente já conhecia, como em novas tecnologias pra propiciar o desenvolvimento da aeronave, atendendo aos requisitos da FAB”, afirma o engenheiro Márcio Eduardo Regis Monteiro, gerente de desenvolvimento de produto da Embraer.

Antes de adquirir a certificação, os protótipos também vão realizar ensaios operacionais para os testes de desempenho das capacidades do KC-390. No cronograma de viagens, estão previstas missões de lançamento de carga, na Região Centro-Oeste, e de alta temperatura no nordeste brasileiro. A previsão também é de voar para fora do País para fazer ensaios de baixa temperatura e de gelo natural nos Estados Unidos.

“O último grito da tecnologia aeronáutica está incorporado no KC-390, com uma vantagem enorme no desempenho, pois é a única aeronave nesse segmento com toda a tecnologia atualizada. Ele vai proporcionar uma flexibilidade operacional muito grande para a FAB”, afirma Paulo Gastão, diretor do Programa KC-390 na Embraer.

Mercado

Fruto da capacitação tecnológica, o KC-390 vai significar um salto operacional para as Forças Armadas e um avanço para a indústria aeronáutica brasileira. Ao todo, 28 unidades foram encomendadas pela Força Aérea Brasileira e devem ser entregues a partir de 2018.

De acordo com o gerente do Programa KC-390 na FAB, Coronel Cláudio Evangelista Cardoso, o novo avião vai colaborar para o fortalecimento da Estratégia Nacional de Defesa e para o crescimento da indústria nacional. “É um marco para a FAB porque vamos receber uma aeronave up-to-date, ou seja, o que tem de mais moderno na sua categoria”, comemora.

Graças às vantagens apresentadas, o KC-390 tem despertado interesse no mercado internacional. Segundo o presidente da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider, existe uma demanda de mercado por novas aeronaves na categoria do jato militar. “Estamos conversando com alguns clientes em potencial. O feedback tem sido extremamente positivo, confirmando que estamos no caminho certo”, declara.

A linha de produção em série do cargueiro deve iniciar no próximo ano, com uma expectativa de geração de 1.060 empregos diretos e 5.300 indiretos. Cláudia Renata de Miranda, eletricista e montadora de avião, participou da montagem dos protótipos. Segundo ela, é uma satisfação enorme fazer parte desse processo. “Quando vi o avião decolando, pensei: poxa, eu trabalhei nesse avião! É como se fosse um filho, a gente se envolve bastante”, comenta.





KC-390 – Dilma pedala R$ 1,4Bi, quase inviabiliza, e fatura como agenda positiva

Direção da EMBRAER e Comando da FAB levam o KC-390 para conseguir “despedalar” a verba de R$1,4 Bi


Nelson Düring | DefesaNet

O Programa do Cargueiro Multimissão KC-390 em desenvolvimento pela EMBRAER Defesa e Segurança e o Comando da Aeronáutica é um dos Projetos Estratégicos de Defesa do Brasil.


Embraer KC-390

Na tarde de 04ABR2016 a aeronave KC-390 pousou na Base Aérea de Brasília DF. O Programa KC-390 passa por turbulência grave pelas sucessivas pedaladas, travestidas de contingenciamento orçamentário. A ida do Cargueiro Multimissão KC-390 01 a Brasília DF atende a dois objetivos básicos:

1 – Uma agenda positiva para o atual momento do Governo Dilma Rousseff. Mostrar fatos e realizações positivas, mesmo que o próprio governo atrapalhe ou prejudique de forma significativa estes, e,

2 – Para que a contratista principal, a EMBRAER Defesa & Segurança e Comando da Aeronáutica consigam “despedalar” o valor de R$1,4 e tentar regularizar os pagamentos deste ano, que o governo tem contingenciado no repasse de verbas para o desenvolvimento do Programa do Cargueiro Multimissão KC-390. 


Parece hilário que a Administração da Presidente Dilma Rousseff traga a Brasília, para agenda positiva a mais bem acabada realização do conjunto de “pedaladas”.

A aeronave só está em Brasília (DF) para esta demonstração, pois a Administração da EMBRAER através do CEO Frederico Curado e o VP da EMBRAER Defesa & Segurança, Jackson Schneider, resolveram que a empresa bancaria com recursos próprios o desenvolvimento, o que ocorre desde meados de 2015.

E também em um esforço conjunto dos parceiros de risco no projeto, tanto Brasil como exterior que aportam recursos sem a devida contrapartida financeiro do governo.

Procura desta maneira mostrar viabilidade e como DefesNet anunciou com exclusividade o anúncio do próprio VP Jackson Schneider, o plano de levar o KC-390 a Exposição Internacional de Farnborough, em Julho, na Inglaterra.

Após ter um atraso de 18 meses no cronograma de desenvolvimento, pelos contingenciamentos orçamentários “pedaladas cíclicas”, o que quase inviabilizou o projeto. Atraso que EMBRAER tenta recuperar e ao menos não alongar este que será irrecuperável em ocupar as janelas de oportunidade no mercado internacional.

O VP Jackson Schneider, da EMBRAER Defesa & Segurança, tenta a jogada ao dar uma escada para o governo, conseguir recuperar parte dos atrasos tanto no Programa KC-390 como nos demais em atraso. Em contato com a EMBRAER a empresa não quis indicar o valor da dívida total do Ministério da Defesa para com a empresa.

O Comando da Aeronáutica realizou alguns pagamentos no fim de 2015 porém a desvalorização cambial, levou o patamar de pedalada ser estável há um ano cravado no R$1,4 Bi.

Uma outra agenda é a do Ministério da Defesa com a administração do ministro Aldo Rebelo, em tentar desesperadamente mostrar algo de sua pasta.




KC-390 estará em Farnborough (vídeo)

A aeronave cargueira multimissão KC-390 cruzará o Atlântico e participará do Farnborough International Airshow.


Nelson Düring | DefesaNet


Uma notícia que é uma verdadeira surpresa foi anunciada com exclusividade a DefesaNet pelo CEO da EMBRAER Defesa & Segurança Jackson Schneider na FIDAE 2016.


Embraer KC-390

O cargueiro multimissão KC-390 atualmente em desenvolvimento que alcançou a marca de mais de 150 horas voadas, estará em exibição estática, no tradicional Farnborough International Airshow, que será realizado na Inglaterra, no período de 11 a 17 de Julho 2016.

Esta é uma bem calculada jogada de marketing da EMBRAER. Mesmo com a restrição orçamentária que afetou o cronograma de desenvolvimento atrasando-o em 18 meses, para a certificação final da aeronave.

Em meados do ano passado a EMBRAER Defesa & Segurança tomou a decisão corajosa de continuar com o programa de desenvolvimento e a construção dos demais protótipos, mais um para ensaios em voo e dois para ensaios estáticos, com recursos próprios.

Mesmo que após a Força Aérea Brasileira tenha conseguido amortizar parcelas em atraso, um outro efeito aconteceu. Os valores corrigidos pela valorização do dólar levara a dívida ficar estacionada no mesmo valor ou seja R$ 1, 4 Bilhão .

O risco de cruzar o Atlântico é minimizado pela confiabilidade e maturidade que os complexos sistemas de voo do KC-390 estão alcançando e demonstrando nas mais de 150 horas voadas desde as instalações da EMBRAER Defesa & Segurança, em Gavião Peixoto, SP.

São cerca hoje 28 aeronaves contratadas para a FAB e mais 32 para os países participantes do consórcio de desenvolvimento (Argentina, Chile, Portugal, Rep. Tcheca).

A direção através do CEO Jackson Schneider e o Diretor do Programa Cargueiro Multimissão KC-390.mostram-se confiantes e tranquilos com a evolução e que as metas do cronograma serão atingidas.
 

 

17 abril 2016

EUA diz que caça russo interceptou avião militar de forma 'perigosa'

Porta-voz do Pentágono classificou o incidente de 'pouco profissional'.
Rússia nega que ação tenha sido imprudente ou provocativa.


France Presse

Um avião de reconhecimento da força aérea dos Estados Unidos foi interceptado por um avião SU-27 russo de "maneira perigosa e não profissional", enquanto realizava um voo de rotina no espaço internacional no mar Báltico, anunciou o Pentágono neste sábado (16).


Boeing RC-135 interceptado por um Sukhoi Su-27

O incidente aconteceu na quinta-feira (14) e em nenhum momento o avião RC-135 americano cruzou o território russo, disse Laura Seal, porta-voz do Pentágono.

A Rússia negou que a ação foi imprudente ou provocativa.

"Essa interceptação insegura e pouco profissional tem o potencial de causar sérios danos e lesões a todas as tripulações envolvidas", disse Seal sobre o incidente.

"Mais importante, as ações inseguras e pouco profissionais de um único piloto têm o potencial de aumentar desnecessariamente tensões entre os times em campo".



15 abril 2016

EUA divulgam vídeo sobre voo 'agressivo' de caça Su-24 (vídeo)

Ao ver o navio, os pilotos se afastaram, como as regras exigem, disse o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov. A autoridade também afirmou que o incidente ocorreu perto de uma base militar russa. 


Sputnik

Os pilotos da Força Aeroespacial da Rússia realizavam um voo no mar Báltico, em conformidade com todas as regras e normas de segurança, disse o porta-voz do Ministério da Defesa, major-general Igor Konashenkov, comentando a declaração dos Estados Unidos de que caças russos Su-24 teriam sobrevoado de forma “agressiva” um destróier estadunidense.


Caça russo Su-24
Sukhoi Su-24 Tchemodan © Sputnik/ Mikhail Voskresenskiy

O general afirmou que a trajetória de voo da aeronave realmente atravessou a área onde o navio americano navegava, mas acrescentou que, a setenta quilômetros do local do incidente, se encontra uma base naval russa.

"Ao ter o navio no raio de visão, os pilotos russos se desviaram em conformidade com todas as regras de segurança", — disse Konashenkov.

O porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia disse que a Força Aeroespacial da Rússia realiza os voos em conformidade com todas as normas internacionais.

O comando dos EUA divulgou nessa quarta-feira (13) um vídeo e fotos mostrando aviões e helicópteros russos se aproximando de um navio da Marinha dos Estados Unidos. O lado norte-americano expressou a sua preocupação com o incidente, chamando esse comportamento de "pouco profissional" e afirmando que ele comprometeu a segurança. O porta-voz do Pentágono disse que o bombardeiro russo Su-24 sobrevoou o destróier a uma distância de menos de dez metros.



EUA revelam patrulhas conjuntas com as Filipinas no Mar do Sul da China

Os EUA revelaram pela primeira vez nesta quinta-feira (14) que navios americanos começaram a realizar patrulhas conjuntas com as Filipinas no Mar do Sul da China, segundo informou a AP.


Sputnik


A iniciativa não é feita com outros parceiros dos EUA na região. O secretário de Defesa norte-americano, Ashton Carter, também anunciou em uma conferência de imprensa conjunta com o secretário de Defesa filipino, Voltaire Gazmin, que os EUA vão manter cerca de 300 soldados nas Filipinas até o final do mês. 


Exercícios navais dos EUA e das Filipinas nas águas do Mar do Sul da China, em junho de 2014
Exercício naval dos EUA e Filipinas © AFP 2016/ NOEL CELIS/POOL

As tropas vão incluir comandos da Força Aérea armados com aviões e helicópteros de combate, reforço militar que pode inflamar as tensões com Pequim no disputado Mar do Sul da China.

Os EUA também vão começar a enviar mais forças rotacionais para as Filipinas, e até 75 fuzileiros navais ficarão baseados em Camp Aguinaldo para apoiar o reforço das operações militares conjuntas na região.


Komodo 2016 : Navios de guerra de mais de 30 países se encontram no Oceano Índico

Os exercícios navais Komodo 2016, que acontecem entre 14 e 16 de abril no Oceano Índico, perto da província indonésia de Sumatra, reúnem cerca de 48 navios de guerra e aeronaves de diferentes tipos de 35 países, entre eles Rússia, Austrália, China, EUA, Japão e outros Estados da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).


Sputnik


Um grupo de navios da Frota russa do Pacífico zarpou nesta quinta-feira (14) do porto de Padang (Indonésia) em direção às águas onde serão realizadas as manobras, segundo informou um porta-voz militar da Rússia, citado pela RT. 


Navios norte-americanos no oceano Índico
© flickr.com/ Official US Navy Page/SPC Mark Alvarez

O destacamento naval russo é formado pela fragata antissubmarino Almirante Vinogradov, pelo rebocador de salvamento Foti Krylov e pelo petroleiro Irkut, que chegaram à Indonésia no início desta semana. Além disso, helicópteros navais russos Ka-27 também tomarão parte nos exercícios.


O Komodo 2016 focará no treinamento de diferentes operações de caráter humanitário e antiterrorista, na defesa de recursos marinhos e na resposta a catástrofes naturais. As manobras também preveem a simulação de uma operação de resgate a um navio capturado por piratas convencionais.



Forças Armadas gregas estão em alerta máximo

Durante três dias, a Força Aérea turca sobrevoou as ilhas gregas no Mar Egeu. Uma fonte do Ministério da Defesa grego disse que as Forças Armadas gregas começaram na quinta-feira um treinamento de estado de alerta máximo.


Sputnik


Segundo a ordem do Ministro da Defesa Nacional da Grécia, Pános Kamménos, as Forças Armadas gregas começaram na madrugada de quinta-feira um treinamento de verificação de prontidão para o combate por causa das provocações turcas, informou uma fonte no Ministério grego.


Caça turco
F-16 turco © AFP 2016/ YIANNIS KOURTOGLOU

Durante três dias, a Força Aérea turca sobrevoou as ilhas gregas na parte nordeste do Mar Egeu. Embora a Força Aérea turca invada constantemente o espaço aéreo grego, desta vez as violações foram principalmente sobre o mar. Atenas considera os voos sobre as ilhas como uma provocação extremamente perigosa.

"Fizemos grandes manobras a fim de estarmos preparados. Historicamente, sempre que a Turquia tinha problemas internos, tentava os exportar. Devemos estar preparados para isso", disse o interlocutor.

Ele informou também que as manobras estão sendo realizadas e no norte da Grécia, perto da cidade de Kilkis, junto à fronteira com a Macedônia, por causa das ações das autoridades de Escópia (a capital macedônia). Ao mesmo tempo, o treinamento não está ligado, de maneira nenhuma, com a situação dos refugiados – "O Exército não interfere em assuntos internos, isso é um trabalho da Polícia", apontou a fonte.

"Nós sempre tomamos medidas caso haja alguma ameaça, devemos sempre estar em prontidão. Pois as autoridades da República da Macedônia não modificaram a sua Constituição, precisamos estar alerta", disse a fonte.

Atenas acredita que a Macedônia pode pretender os territórios do norte da Grécia – a Macedônia, uma região grega vizinha que recusa mudar o seu nome.

À pergunta sobre a duração dos treinamentos, o interlocutor respondeu: "Tanto tempo quanto for preciso. Os treinamentos serão realizados em todo o território da Grécia, incluindo nos pontos mais importantes".

A fonte também disse que o ministro Kamménos está no ministério desde a madrugada.

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras realizará na sexta-feira (15), uma reunião governamental do Conselho de Defesa e Política Externa por causa das provocações da Turquia, informou uma fonte do governo.


Grécia detém navio turco com armas destinadas ao Líbano

A mídia turca informa que a guarda costeira grega deteve na segunda-feira (29) um navio turco que transportava uma grande carga de armas ao Líbano.


Sputnik


O navio, segundo se informa, partiu do porto de Izmir em 4 de fevereiro e transportava seis contêineres, dois dos quais continham armas e munições. 


Navio da guarda costeira grega
Navio da Guarda Costeira da Grécia © AP Photo/ Petros Giannakouris

As autoridades gregas detiveram todos os tripulantes, entre os quais estavam seis sírios, quatro indianos e um libanês.

O nordeste do Líbano é atingido por um conflito que reflete a guerra civil na Síria. No território libanês operam grupos islamistas opostas pela organização militante xiita Hezbollah e exército governamental.


Não se sabe para que parte foram destinadas as armas. Porém, é de lembrar que em meados de fevereiro o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, acusou a Turquia e a Arábia Saudita de tentarem provocar uma guerra generalizada no Oriente Médio por não estarem prontas para aceitar uma solução política para a Síria.

O ex-brigadeiro-general do Exército libanês e pesquisador no em Assuntos Estratégicos, Mohammed ABBAS, comentou: "Certamente, os mais afetados pelos acontecimentos em curso na Síria são três países: Arábia Saudita, Turquia e Israel. Na verdade, assim que foi declarada que, eles anunciaram que ‘a trégua irial ‘falhar", enquanto muitos relatórios mostraram o oposto. A primeira violação da trégua foi anunciada pela Arábia Saudita através de fontes da mídia; a segunda violação foi quando a Turquia bombardeou áreas curdas; além disso, uma violação que ‘Daesh’" fez in Tal al-Abyad.

"Estes três países querem agitar a arena política no Líbano e na Síria. Assim, quando as partes russas e americanas concordaram sobre as soluções na Síria, não houve nenhuma intervenção na Síria; sem invasão terrestre na Síria — a trégua tornou-se a favor do ‘Regime’ e não da ‘oposição’; uma questão que implicará na rendição dos grupos militantes que podem se juntar às negociações de paz”, aifrmou o especialista.

“O Líbano e o povo e o exérrcito libanêse não é necessário para os países mencionda acima. Eles estão se comportando com uma mentalidade de vingança, principalmente no Líbano. Os objetivos e interesses da Arábia Saudita no Líbano não têm limites. Eles não dizem apenas respeito ao ‘Hezbollah’, como tal, mas o Líbano como um todo, o seu povo e o exército”, acrescentou Mohammed Abbas.



EUA lançam navio fantasma para vigiar submarinos russos e chineses

O Exército dos EUA espera que o Sea Hunter (Caçador do Mar), o novo navio não tripulado destinado a detetar e vigiar submarinos inimigos, ajude os americanos a diminuir a crescente influência da China e da Rússia nos oceanos.


Sputnik


O protótipo do navio, que é considerado pelo Pentágono como um instrumento para preservar o domínio marítimo norte-americano no mundo, foi apresentado ao público em 6 de abril, informou a Reuters. Foi desenvolvido por uma joint venture entre a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos Estados Unidos (DARPA, na sigla em inglês) e o Escritório Naval de Pesquisas.


Navio Fantasma
Sea Hunter © Foto: youtube/arronlee33

O navio, com 40 metros de comprimento e propulsão a diesel, foi chamado de “navio fantasma” (“ghost ship”, em inglês) devido à sua capacidade de operar tanto por controle remoto e como sem qualquer intervenção humana.

O Sea Hunter deverá navegar no mar por meses, manobrando em torno de vários obstáculos sem violar o direito marítimo internacional. A agência de notícias The Quartz News descreveu o navio como uma "versão aquática dos carros de condução automática do Google”.

Ao contrário dos carros do Google, o navio terá uma tarefa clara: vigiar os submarinos russos e chineses silenciosos de nova geração.

"Estamos trabalhando na tecnologia antissubmarino não somente porque achamos que é legal," disse à Reuters Peter Singer, especialista do think tank americano New America Foundation. "Estamos trabalhando nisso porque estamos profundamente preocupados com a crescente influência da China e da Rússia nos oceanos."

O navio será submetido a dois anos de testes para provar as suas capacidades antes de entrar em serviço. Embora não seja o primeiro navio não tripulado usado pelos militares americanos, este modelo específico será capaz de explorar o espaço marítimo longe das bases navais, de acordo com os seus criadores.

No entanto, o navio-robô não deve provocar receios, afirmaram os engenheiros do navio. Tendo em vista as preocupações da ONU sobre o uso de Sistemas de Armas Autónomas Letais (“Lethal Autonomous Weapons Systems, na sigla em inglês”), os engenheiros sublinharam que a decisão de usar armas será tomada somente pelos militares.

"Não tem nenhuma razão para ter medo de um navio como este", disse a vice-secretário da Defesa, Robert O. Work, à Reuters.

O custo de construção de Sea Hunter é estimado em US $ 20 milhões. O navio também vai exigir de US $ 15.000 a $ 20.000 por dia para manutenção, um valor significativamente menor em comparação com os gastos dos outros navios de guerra americanos.


Marinha dos EUA detém navio iraniano que transportava armas

Os EUA alegadamente interceptaram e apreenderam uma carga de armas transportada em navio iraniano no Mar Arábico, disse o Departamento da Marinha norte-americano na segunda-feira (4).


Sputnik


A carga incluía 1,5 mil fuzis AK-47, 200 lançadores de granadas antitanque e metralhadoras de calibre 21.50 mm, disse o Departamento da Marinha norte-americana. 


Navio iraniano Kharq entra no canal de Suez, fevereiro de 2012 (foto de arquivo)
Navio iraniano Karq © AFP 2016/

“As forças internacionais navais que operam em águas do Mar Arábico apreenderam em 28 de março uma série de armas ilegais que, segundo as avaliações dos EUA, eram de origem iraniana e possivelmente estão relacionadas com os rebeldes houthis no Iêmen (...);. O navio da Guarda Costeira da Marinha norte-americana USS Sirocco, que integra o Comando Central das Forças Marítimas dos EUA, interceptou e apreendeu a carga de armas escondidas a bordo de um pequeno navio que não pertence a nenhum país”, diz-se na declaração.

Segundo a declaração, esta é a terceira interceptação do navio, que transporta armas ilegais na região desde fevereiro. Os dois navios precedentes que transportaram armas e outros equipamentos haviam sido interceptados em 27 de fevereiro e 20 de março.



10 abril 2016

Engenheiro russo desenvolve pistola mais eficaz do mundo

Um correspondente da Sputnik falou com o criador desta pistola única para saber a sua opinião sobre uma história curiosa: uma vez, as balas desta pistola perfuraram os coletes balísticos americanos – e agora ela é proibida nos EUA.


Sputnik


O engenheiro russo criou, ainda nos tempos soviéticos, uma pistola totalmente de fabrico nacional que ainda é usada pelos serviços secretos, inclusive pelo serviço de segurança do presidente russo, sendo proibida oficialmente nos EUA.


Pyotr Serdyukov
Pyotr Serdyukov © Foto: TSNIITOCHMASH

É geralmente sabido que as famosas pistolas russas Tokarev TT e PM (pistola Makarov) não podem ser consideradas completamente russas – foram criadas com base nos modelos Browning e Walter. Mesmo tendo em conta as vantagens dos modelos russos, com o aparecimento dos equipamentos de proteção individual, a sua eficácia se tornou menor.

Então, o engenheiro Pyotr Serdyukov desenvolveu a pistola que atualmente leva o seu nome e que não só é melhor, como é única.

O jornalista da Sputnik falou com Serdyukov e notou a extrema modéstia para um homem que criou uma arma sem análogos. Perguntado sobre o lucro que recebeu por desenvolver tal armamento, o construtor sublinhou que nunca pensou em ser rico em outro país.

“Sinto-me bem aqui”, disse.

A pistola de Serdyukov é bastante elegante, se uma arma pode ser chamada assim. Aqueles que já a usaram notam também que a arma é muito fácil de utilizar, prática, além de ser muito segura. 


Pistola de Serdyukov
Pistola de Serdyukov © Foto: Vitaly V. Kuzmin

Há também um fato pouco conhecido sobre a pistola. Em 1997, nos EUA, em um dos polígonos de fuzileiros navais, estavam sendo realizadas mostras de novas armas portáteis, desenvolvidas pela empresa russa TSNIITOCHMASH.

Durante a mostra, representantes dos serviços secretos russos mostraram aos seus colegas americanos a pistola de Serdyukov, e pediram para usar os coletes balísticos americanos para testes de resistência. Todos os coletes foram perfurados.

Quando o jornalista da Sputnik contou essa história a Serdyukov, este notou:

“Em 1997 eu estava lá pessoalmente. Sei lá se eles ficaram surpreendidos, eles estavam trabalhando e olhando, não sei necessariamente se eles ficaram surpreendidos, mas sim nos elogiaram e disseram que [a pistola] funciona bem”.

Falando sobre outro famoso criador de armas Kalashnikov e sobre o papel dos criadores de armas em geral, o entrevistado notou:

“Na altura era necessário desenvolver armas, e elas foram desenvolvidas. Isso não foi feito só por Kalashnikov. Estavam envolvidas muitas estruturas, o nosso instituto também participou. Não se pode dizer que foi uma única pessoa. Foi colocado o objetivo – era preciso fazer uma nova arma e o país fez”, disse.

Há informações que, atualmente, com base na Serdyukov está sendo criado um novo modelo de pistola, ainda mais moderna e poderosa.

Esta arma única não é produzida em massa, só para determinados grupos de funcionários de tais estruturas militares russas como o Serviço Federal de Guarda (FSO, na sigla em inglês), o Ministério do Interior e o Serviço Federal de Segurança (FSB).

A pistola usa uma bala especial de calibre 9х21 mm. O alcance de tiro da arma com esta bala é 100 metros. Nesta distância, os coletes balísticos, que são feitos de placas de titânio de 1,4 mm e 30 camadas de kevlar ou placas de aço de 4mm, podem ser perfurados.